Seguidores

Radio Toques de Aruanda http://www.radiotoquesdearuanda.com.br/

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

CARTA DOS POVOS E COMUNIDADES TRADICIONAIS DE MATRIZ AFRICANA, POVOS ORIGINÁRIOS E POVOS PERIFÉRICOS

Carta dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana, Povos Originários e Povos Periféricos São Paulo, 3 a 7 dezembro de 2014


Nós, Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana, Povos Originários e Povos Periféricos reunidos na Semana Cultura Viva Comunitária/Reunião do Conselho Latino-americano de Cultura Viva, entre 3 e 7 de dezembro de 2014, na cidade de São Paulo, manifestamos nossas preocupações com o atual cenário político e social do Brasil no que diz respeito a garantia dos direitos constitucionais dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana, Povos Originários e Povos Periféricos, ao mesmo tempo que reivindicamos ao Ministério da Cultura que reflita e considere que somos os responsáveis pela preservação da grande riqueza cultural e da sócio-biodiversidade que constitui este país;

Mestras, mestres e aprendizes das culturas tradicionais em reunião de construção da Carta durante a Semana Cultura Viva Comunitária

Considerando a conjuntura nacional, com o avanço de segmentos fundamentalistas contra a participação social que é garantida pelo Decreto 8.243/2014, que assegura a participação do povo nas decisões políticas e, consequentemente, mais democracia, derrubado pela Câmara Federal e na eminência de derrubada no Senado;
Considerando a aprovação eminente da PEC 215 que transfere do executivo para o Congresso Nacional a demarcação de terras indígenas e a revisão de processos já homologados, incluindo territórios de Povos e Comunidades Tradicionais e unidades de conservação e considerando ainda a Portaria 303 da AGU/2012, que viola a convenção nº 169 da OIT que assegura o direito a consulta prévia dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana, Povos Originários e Povos Periféricos;
Considerando a garantia de direitos para Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana, Povos Originários e Povos Periféricos pelo Decreto 6040/2007, que institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável de Povos e Comunidades Tradicionais em processo de tramitação para sua transformação em Lei pelo PL 7447/2013;
Considerando que o número de homicídios no Brasil, segundo mapa da violência no ano de 2012, foi 56.337 e nesse conjunto 77% das vítimas são jovens negros, em um evidente processo de genocídio da juventude negra e da juventude pobre, que constituem a faixa etária socialmente vulnerável do Brasil, oficializado e chancelado pelos autos de resistência, medida administrativa criada durante a Ditadura Militar para legitimar o extermínio protagonizado pelas forças policiais;
Considerando a Política Nacional de Cultura Viva, instituída pela Lei 13.018/2014, em processo de regulamentação, que amplia o acesso da população brasileira ao exercício dos direitos culturais;


Considerando que reprodução cultural, social, religiosa e econômica dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana, Povos Originários e Povos Periféricos, está diretamente ligada aos conhecimentos, inovações e práticas gerados e transmitidos pela tradição oral, com base na ancestralidade principalmente pelos agentes de memória coletiva, os mestres e mestras, e a urgência de garantias de fomento e valorização da memoria viva, manifestamos nossas reivindicações:
1. A aprovação do decreto 8.243/2014 no Senado para garantia da participação e
ampliação dos espaços de decisão dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana, Povos Originários e Povos Periféricos.
2. A não aprovação da PEC 215 e a revogação da Portaria 303 da AGU/2012.
3. Aprovação imediata do PL 7447/2013.
4. Aprovação imediata do PL 4471/2012 e ampliação das politicas públicas de juventudes, assim como para o Plano Juventude Viva, com garantia de dotação orçamentária.
5. Incluir no marco regulatório a Rede de Pontos de Culturas de Povos e Comunidades de Matriz Africana com 20% do número total da meta do Plano Nacional de Cultura de 15.000 pontos de cultura até 2020. Incluir no marco regulatório a Rede de Pontos de Culturas de Povos Originários com 20% do número total da meta do Plano Nacional de Cultura de 15.000 pontos de cultura até 2020. Incluir no marco regulatório a Rede de Pontos de Culturas de Povos Periféricos com 20% do número total da meta do Plano Nacional de Cultura de 15.000 pontos de cultura até 2020. Garantir a participação dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana, Povos Originários e Povos Periféricos com as Américas e África, com recursos previstos para intercâmbio e formação, em parceria com o Conselho Latino-americano Cultura Viva, com dois encontros presenciais anuais.
6. Reconhecer e fomentar, política e financeiramente, experiências que se desenvolvem tendo como foco os saberes e fazeres dos mestres e griôs de tradição oral e da cultura popular, com a criação de mecanismos permanentes de apoio e incentivo às redes de transmissão oral e seus vínculos com o sistema educacional e suas práticas nos diversos grupos étnicos culturais que formam o povo brasileiro.


Nós, Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana, Povos Originários e Povos Periféricos reunidos na Semana Cultura Viva Comunitária/Reunião do Conselho Latino-americano de Cultura Viva, entre 3 e 7 de dezembro de 2014, na cidade de São Paulo, manifestamos nossas preocupações com o atual cenário político e social do Brasil no que diz respeito a garantia dos direitos constitucionais dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana, Povos Originários e Povos Periféricos, ao mesmo tempo que reivindicamos ao Ministério da Cultura que reflita e considere que somos os responsáveis pela preservação da grande riqueza cultural e da sócio-biodiversidade que constitui este país.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Cortejo de Yemanjá 31/11/2014 em Areia Branca R/N

Programação do Cortejo de Yemanjá, realizada pela casa Ilé Ase Dajó Ìyá Omí Sàbá 
Quer tem a frente O Babalorixá Noamã Pinheiro.

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Homenagem a Yemanjá e os Marinheiros 2014 - Tenda de Umbanda Pai Joaquim D´Angola e Exú Tiriri


Nesse fim de semana, 06 e 07 de dezembro realizamos uma linda homenagem á nossa mãe Iemanjá e Marinheiros. Um dia mais que especial. Agradecemos á todos os filhos da Tenda de Umbanda Pai Joaquim D'Angola e Exú Tiriri, pelo carinho e dedicação, e todos de uma forma geral que contribuíram e participaram desse momento lindo. Axé!





























E assim foi nossa Homenagem a Mamãe Yemanjá e os Marinheiros!
Parabéns à toda Equipe da Tenda de Umbanda Pai Joaquim D´Angola e Exú Tiriri pelo empenho. Foi maravilhoso! Luz e Bênçãos!

Meus irmãos,
Luz e Bênçãos!
Gostaria de agradecer publicamente a Federação Umbandista do Grande ABC (Santuário Da Umbanda Fugabc Casa De Pai Benedito), Pai Ronaldo Linares, Maria Aparecida Linares, João Rodolfo Linares, Marco Antonio Linares, Babá Dirce, Taís e Carol, por toda a atenção, organização e estrutura disponibilizada para o evento em homenagem a Mãe Yemanjá, a 25° Festa de Iemanjá na cidade de Mongaguá!
Foi mais uma vez tudo maravilhoso! Quando chegamos a barraca já estava armada, fomos recepcionados pelo Marco que prontamente enviou o banheiro químico limpo (por sinal, os funcionários da empresa responsável foram super-atenciosos), Recebemos em nossa tenda a visita de irmãos do corpo de bombeiros (salva-vidas) e polícia militar, colocando-se a disposição para qualquer imprevisto, a Carol juntamente com um irmão da FUGABC também nos visitaram para dar as boas-vindas e desejar um bom trabalho! Atenção, carinho, seriedade e competência, é assim que resumimos o trabalho de toda equipe da FUGABC, sem dúvidas, mais um ano de sucesso e exemplo de organização!
Obrigado Pai Ronaldo e todos os irmãos e amigos da FUGABC!
Que Yemanjá,nosso Pai Oxalá e todos os Orixás os abençoe!
Saravá fraterno!
e Equipe da TUPJAET
Tenda de Umbanda Pai Joaquim D´Angola e Exú Tiriri
Limeira/SP
Área 23 da FUGABC - trabalho realizado na noite e madrugada de 06 para 07/12/2014

domingo, 7 de dezembro de 2014

FÓRUM DIÁLOGOS - Fórum da Diversidade Religiosa em Pernambuco


Dia, 05 de dezembro, no Pátio de São Pedro, no Recife, a OAB Pernambuco, com apoio do Fórum Diálogos, realizou evento em prol da Liberdade Religiosa.
Represen...tantes de mais de dez tradições religiosas estiveram presentes, manifestando o respeito à diversidade religiosa e de pensamento, e o repúdio à atitudes de intolerância!
Ao final, um bela ciranda foi dançada com todos os presentes ao evento.
Fotos de Vânia Besse, da LBV.










  



Momentos especiais junto a diversidade religiosa em Pernambuco. Ato de protesto contra a intolerância religiosa. Juntas, as religiões são mais fortes e podem dar melhor contribuição à sociedade. Separadas só servem para criar barreiras e limites desnecessários. Assim penso.

Cada um com sua tradição e história... Mas juntos politicamente e ideologicamente contra o racismo e contra a intolerância!

Salve a fumaça!


 Palavras de Pai Alexandre L'Omi L'Odò