Seguidores

Radio Toques de Aruanda http://www.radiotoquesdearuanda.com.br/

terça-feira, 31 de março de 2015

Ontem, 30/03 estivemos na Câmara Municipal de Limeira para acompanhar a votação onde foi APROVADO em Regime de Urgência Especial I – Projeto de Lei n º 237/14, de autoria do nobre Vereador Wilson Nunes Cerqueira

 

Vencemos!
Ontem, 30/03 foi APROVADO em Regime de Urgência Especial I – Projeto de Lei n º 237/14, de autoria do nobre Vereador Wilson Nunes Cerqueira, que dispõe sobre a proibição, através de qualquer meio, de verificação e/ou inquirição sobre religião na admissão ou adesão às empresas públicas ou privadas, sociedades, clubes e afins no âmbito do município de Limeira e dá outras providências.
- Proíbe a verificação da religião de candidatos às vagas de trabalho em empresas públicas e privadas, sociedade e clubes de Limeira.
Obrigado nobre vereador Wilson Nunes Cerqueira e todos os nobres vereadores e vereadoras que aprovaram o projeto!
Agradeço também, a todos os filhos e irmãos umbandistas que estiveram presentes, apoiando a votação!
Juntos por uma Limeira sem preconceito e sem intolerância!

 

segunda-feira, 30 de março de 2015

Isso sim vale a pena ser postado. Oxalá de fato entrando em uma igreja em Caruaru. Pena o mundo não ter tido outros Papas iguais ao Papa Francisco.



click no link abaixo para Assisti esse vídeo

https://www.facebook.com/video.php?v=827808163942528
 
Fonte Alezio Gelsleichter

domingo, 29 de março de 2015

Gentem Para quem tem curiosidade, para quem critica, para quem acha que não merecemos respeito... Esse vídeo mostra uma pequena parcela da beleza que é a nossa religião de Matriz Africana.


 
click no link abaixo para Assisti esse vídeo 



sábado, 28 de março de 2015

Ontem estivemos na Câmara Municipal de Limeira participando dos eventos (Pai Evandro Fernandes)








Ontem estivemos na Câmara Municipal de Limeira participando dos eventos: "Mulher no noticiário brasileiro" e "Estudos feministas e religião", organizado pela Procuradoria Especial da Mulher e Escola Legislativa Limeira Paulo Freire.
Ótimo aprendizado e troca de informações que poderão ajudar no combate à discriminação, prevenção e orientação nos casos de violência contra a mulher.
As religiões tem papel fundamental nesse processo e desejamos contribuir no que for necessário para que esse quadro seja mudado.
A Umbanda mais uma vez, estava presente!
Obrigado a Mara Jaqueline de Oliveira, Joyce Hailer, Fernando Campos e Nobre Vereadora Erika Tank II pelo convite e oportunidade.
Saravá fraterno!
 

Xangô, meu pai!


Xangô é o Orixá da Justiça e do Equilíbrio; Senhor do fogo, dos trovões e das pedreiras. Não cede nem à flexão e nem à pressão, é rígido e estável como as rochas, julga de forma severa mas sem precipitação e finalmente estabelece a ordem tranquilizadora. Devemos estar preparados e conscientes ao pedir Justiça à Xangô pois ela será feita, mas não a justiça dos homens e sim a Justiça Divina. É mais comumente sincretizado com São Jerônimo, que tem dia comemorado em 30 de setembro, ou São João Batista, que comemoramos em 24 de junho. Suas cores são o marrom, o vermelho ou o cinza; seus símbolos são o machado de dois cortes que remete à imparcialidade, a balança que está ligada à justiça e a estrela de seis pontas que representa o equilíbrio; suas pedras são o olho de tigre e a pedra do sol. Na pedreira, com Iansã, Xangô nos traz o arrojo, a determinação, a fortaleza, a segurança, a firmeza e a sustentação. Na cachoeira, com Oxum, Xangô nos purifica, nos energiza, nos dá vida, vigor, saúde e inteligência.

Pretos Velhos – Adorei as almas!!!!





Preto-velho, no ritual de Umbanda Sagrada, é um grau manifestador de um Mistério Divino. Nem todo Preto-Velho é preto ou velho. A forma como os Pretos-Velhos incorporam, curvados, expressa a qualidade telúrica de Pai Obaluaiê. O peso que parecem carregar não é fruto do cansaço, da idade avançada ou velhice, mas é a ação da qualidade estabilizadora, terra, desse orixá.

Essas entidades manifestam-se sob a aparência de negros escravos, trazendo-nos o exemplo de humildade e simplicidade da alma. São espíritos elevadíssimos, com vasto campo de atuação, encontrados nas Sete Linhas de Umbanda, pois trabalham a Evolução nos sete sentidos da vida dos seres.

Trazem sempre palavras de Fé, de esperança, de consolo e de perseverança, com sua sabedoria, paciência, paz e serenidade.
São espíritos de velhos africanos que foram trazidos para o Brasil como escravos e que trabalham na Umbanda como símbolos da fé e da humildade. Seus trabalhos são de ajuda aqueles que estão em dificuldade material ou emocional, sendo que, o seu trabalho se desenvolve mais para o lado emocional e físico, das pessoas que os procuram, sendo chamados, carinhosamente de psicólogos dos aflitos. Sua paciência em escutar os problemas e aflições dos consulentes, fazem deles as entidades mais procuradas na Umbanda, são chamados de Vovôs e Vovós da Umbanda.

Ogum, São Jorge Guerreiro.


Cada um dos 16 orixás – as entidades cultuadas no candomblé e na umbanda – corresponde a um ou mais santos católicos.
Ogum é uma divindade masculina iorubá, figura que se repete em todas as formas mais conhecidas da mitologia universal, OGUM é o arquétipo do guerreiro.
Bastante cultuado no Brasil, especialmente por ser associado à luta, a conquista, é a figura do astral que, depois de Exu, esta mais próxima dos seres humanos. O guerreiro sempre foi à figura mística do deus mais evocado, já que é sua função realizar no astral as guerras que os seres humanos não conseguem travar ou vencer na sua luta cotidiana.
Foi uma das primeiras figuras do candomblé incorporada por outros cultos, notadamente pela umbanda, onde é muito popular. É sincretizado com São Jorge.
São Jorge sempre despertou-nos mais variados povos da Antiguidade, e ainda hoje, o fascínio de uma divindade que mesclava a força, a energia criativa,à proteção do guerreiro, daquele que traz consigo o poder da terra e dos veios ferrosos. O ferro, enquanto matéria prima imprescindível para a confecção das armas que manteriam determinada sociedade em condições de lutar pela sua sobrevivência, associou-se a vários outros símbolos que culminaram por forjar o famoso “Santo Guerreiro”.