Seguidores

Radio Toques de Aruanda http://www.radiotoquesdearuanda.com.br/

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Tenda de Umbanda Pai Joaquim D´Angola e Exú Tiriri do Meu Irmão Pai Evandro de Ogum


Casa de Jurema promove oficina de oratória e discurso em público




Zedequias da Rocha (à esq.), retorna a Areia Branca para ministrar curso de oratória. (Foto: Carlos Júnior/Arquivo)

Visando a promoção do desenvolvimento pessoal, a Casa de Jurema Mestra Maria da Luz, atrelada a Casa de Cultura de Matriz Africana Ilê Asé Dajó Ìyá Omy Sàbá promove a segunda edição do Curso de Expressão Oral e Oratória, previsto para acontecer no próximo dia 20.

A formação aberta aos povos tradicionais de terreiros e ao público em geral acontecerá na sede do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sispumab), que fica na rua Desembargador Filgueira, nº 469, centro, Areia Branca-RN, no horário das 08h as 16h.

Para se inscrever, os interessados deverão procurar o juremeiro Noamã Pinheiro de segunda a quarta na secretaria de serviços públicos das 08h às 12h, ou ainda na Rua Fortaleza, nº 17, bairro Nordeste, próximo a Loja Glenda, no horário das 14h às 17h30.

Será aplicada uma taxa simbólica de inscrição ao preço de R$ 15,00 para cobrir despesas de lanches e almoço no dia do evento, que terá como oficineiro o juremeiro Zedequias da Rocha, da cidade de Parnamirim.
Fonte: blog http://vozdeareiabranca.com.br do nosso amigo Carlos Junior

domingo, 14 de setembro de 2014

SOUESP, Federações de Umbanda espalhadas pelo Brasil e Órgãos Federais: Pedimos que apoiem e oficializem a Carta Magna da Umbanda

Por que isto é importante

 No dia 16 de maio, um juiz do Supremo Tribunal do Rio de Janeiro, em decisão contra as religiões de origem afro - Candomblé e Umbanda - que estão sendo alvos de perseguições religiosas no Brasil através de vídeos veiculados na internet por fundamentalistas, declarou que essas "crenças" não poderiam se configurar como religiões por não terem um documento que lhes reconheçam como tal. Há quase um ano o Congresso Nacional de Umbanda - www.congressonacionaldeumbanda.com.br e o MPU chamaram todos os órgãos máximos da Umbanda e várias lideranças religiosas e se organizaram para a Criação da Carta Magna da Umbanda, um documento que, além de demonstrar os fundamentos e dogmas desta religião, ainda coloca a Umbanda como uma das religiões mais avançadas em termos de direitos humanos na defesa de minorias perseguidas e desprivilegiadas deste país. Infelizmente, interesses políticos ocultos emperram a oficialização desta Carta Magna e mesmo a vontade dessas lideranças participarem ativamente de sua criação, lhe dando apoio para a sua oficialização a nível Nacional. Compreendemos que essa Carta Magna da Umbanda, por seu conteúdo de elevado caráter humanitário, não é importante apenas para a Umbanda em si, mas também para todos aqueles que necessitam e lutam por direitos humanos nesse país. Nessa carta, todas as minorias perseguidas como a comunidade LGBT, as mulheres, negros e mesmo outras religiões perseguidas recebem apoio incondicional da Umbanda, mostrando que uma nova visão dentro das religiões é possível. Por isso, pedimos o apoio não só de umbandistas, mas de todos aqueles como nós que acreditam ser possível a superação da discriminação e do preconceito por parte de todas as religiões.

Segue trechos da Carta Magna da Umbanda:

"RACISMO
A Umbanda é uma religião brasileira e assim como seu povo que é miscigenado, existindo a representação de várias etnias. A Umbanda é o exemplo inter-étnico e responde por ela mesma, pois tem em sua base o negro, o indígena e o europeu. Mostra-se como exemplo de cultura e educação, coibindo qualquer forma preconceituosa. O racismo é, antes de tudo, uma demonstração de atraso espiritual e desconhecimento das leis divinas. Aquele que diminui ou persegue o irmão pela cor da pele ou por qualquer outra característica étnica, viola o grande mandamento, síntese de toda a lei e dos profetas, "amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”.

ORIENTAÇÃO SEXUAL E IDENTIDADE DE GÊNERO
Na Umbanda todo ser humano é visto como irmão (a) espiritual, sendo aceita qualquer orientação sexual e identidade de gênero. Assim a religião entende e acolhe espíritos e não o gênero ou a sexualidade. Discriminação e preconceito não são ensinados pelos nossos guias, entendendo que a Umbanda acolhe a todos. Encarnamos com propósitos e meios para alcançá-los, sendo fundamental respeitarmos a condição de cada indivíduo. Homossexualidade e transexualidade é somente questão de foro pessoal.

O PAPEL DA MULHER NA SOCIEDADE
A Umbanda defende o direito de igualdade, onde a mulher deve ocupar qualquer posição com o mesmo tratamento.
As mulheres na Umbanda estão em todos os níveis hierárquicos da religião, mostrando a toda sociedade o exemplo a ser seguido. Entendemos que a religião de Umbanda é exemplo a todos os segmentos religiosos, pois valorizamos as mulheres em seu exercício sacerdotal, promovendo a igualdade de gênero.

CANDIDATOS A POLÍTICA NA UMBANDA
Seus representantes políticos se comprometem a não interferirem na conquista de direitos individuais baseados em dogmas religiosos da Umbanda."

Apoiem à Carta Magna da Umbanda - mais do que reparar uma injustiça que perdura à 40 anos, representa uma forma elevada e humana de agregar a diversidade humana que poderá ser seguida por todas as outras religiões.

domingo, 7 de setembro de 2014

Pelo fim do preconceito, da discriminação e da exclusão social, sempre em busca da paz religiosa. Una-se a nós nesta caminhada! Dia 11 de outubro de 2014....

Juntos somos mais fortes!!!
Quem é de Axé estará Presente!!!
Família Oxumarê em massa!!! 

Pelo fim do preconceito, da discriminação e da exclusão social, sempre em busca da paz religiosa. Una-se a nós nesta caminhada! Dia 11 de outubro de 2014....
Descrição
A Instituição foi criada para expandir a importância do “Dia das Tradições das Raízes de Matrizes Africanas e Nações do Candomblé, Umbanda e seus segmentos" (30/9) - Lei Municipal - 14.619/07
Idealizada por Iyá Edelzuita de Oxaguiã e mantida pelas comunidades tradicionais de Matriz Africana da cidade de São Paulo, o movimento tem como objetivo denunciar atos de preconceito e de vilipêndio a Laicidade garantida na Constituição Federal, promoção da Cultura de Paz, liberdade religiosa e preservação das tradições de matriz africana.

Mais informações:

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

A Câmara Municipal de Areia Branca sediou na noite do último dia 28, a 11ª edição do Encontro de Religiosos de Matriz Africana da Salinésia


A Câmara Municipal de Areia Branca sediou na noite do último dia 28, a 11ª edição do Encontro de Religiosos de Matriz Africana da Salinésia, organizado e realizado pela Casa de Cultura de Matriz Africana Ilê Asé Dajó Ìyá Omy Sàbá.

Os trabalhos foram coordenados pelo Babalorixá Noamã Pinheiro, líder espiritual da casa, que tradicionalmente realiza encontros de religiosos com o intuito de levantar questões de relevante interesse social.

Palestraram naquela noite, o Babalorixá Melquisedec da Rocha e a antropóloga Dra. Eliane Anselmo. A mesa de abertura foi composta pelas Ialorixas Francelina Cruz da (Oxum) e a Mãe de Santo Katia de (Oxalá), pelo presidente da Fundação Areia Branca de Cultura Aldemir Seixas, Gerente de Turismo Viviane Araújo e pelo estudante de jornalismo e editor do blog Carlos Júnior.

Sob a temática da intolerância religiosa, a noite de debates foi considerada rica e proveitosa pelos presentes que expuseram pontos de vista em torno de casos vivenciados e do combate a intolerância sofrida principalmente contra os povos tradicionais de terreiro.

O encontro antecedeu a realização do ritual do Olubajé, o banquete do rei e ritual da partilha que aconteceu no sábado passado (30-08-14), no Ilê Asé Dajó Ìyá Omy Sàbá, na rua Duque de Caxias, centro de Areia Branca.











Fonte:Agradecimento ao blogueiro e jornalista Carlos Júnior do Blog http://vozdeareiabranca.com.br/



quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Intolerância Religiosa Quando Vai Para Isso?

Aluno é barrado em escola municipal do Rio por usar guias do candomblé

'Ele foi muito humilhado', disse a mãe sobre o ocorrido no dia 25 de agosto.
Jovem caracterizou o episódio como discriminação e mudou de escola.


Colares, chamados 'guias', representam espíritos da Umbanda (Foto: Reprodução: TV Bahia)Colares são chamados 'guias'
(Foto: Reprodução / TV Bahia)


A rotina de ir à escola virou motivo de constrangimento para um aluno que estava se iniciando no candomblé. Aos 12 anos, o estudante da quarta série do ensino fundamental Escola Municipal Francisco Campos, no Grajaú, na Zona Norte do Rio, foi barrado pela diretora da instituição por usar bermudas brancas e guias por baixo do uniforme, segundo a família. A denúncia foi publicada nesta terça-feira (2) pelo jornal "O Dia".

“Antes de ele entrar para o candomblé, eu avisei para a professora e ela logo disse que ele não entraria no colégio. Eu expliquei que ele teria que usar branco e as guias, mas ela não aceitou”, contou indignada a mãe do estudante ao G1, Rita de Cássia.

O G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Educação e até o horário de publicação desta reportagem não obteve resposta.

No dia 25 de agosto, depois quase um mês sem ir à escola, o jovem tentou voltar. “Eu levei o meu filho e, na porta da escola, ela [diretora] não viu que eu estava atrás e colocou a mão no peito dele e disse: ‘Aqui você não entra’. E eu expliquei que ele teria que usar as guias e o branco por três meses e aí ela respondeu: ‘O problema é seu’”, disse Rita de Cássia.

Rita ressaltou que o filho de sentiu humilhado diante dos amigos do colégio e chorou muito. “Se ela estivesse esperado todo mundo entrar e me chamasse no canto para tentar encontrar uma forma para colocar ele pra dentro seria uma coisa. Mas, não. Ela barrou ele na frente de todo mundo. Eu discuti, falei palavrão feio pra ela, eu admito, mas ela não poderia ter feito isso com ele. Ele foi muito humilhado”, afirmou a mãe.

O jovem de 12 anos foi definido pela mãe como uma criança determinada. Apesar do constrangimento, Rita contou que o filho em momento algum pensou em abrir mão dos ideais do candomblé.


“A escolha de entrar para o candomblé foi dele. Ele sabe o que quer, é muito firme nas decisões. Por nada ele larga a religião dele. Quando aconteceu isso tudo ele disse: ‘Se eu fosse muçulmano ou qualquer outra coisa eu deveria ser respeitado, isso é discriminação’”, lembrou a mãe.

Segundo Rita, o jovem caminhou até em casa de cabeça baixa, teve febre e perdeu o interesse de retornar à escola. “Se o meu filho estivesse com drogas, se tivesse arma tenho certeza que eles iam tampar os olhos”, reclamou.

Depois de quatro dias do episódio, ele foi transferido para a Escola Municipal Panamá, também no Grajaú, onde foi bem recebido pela diretoria, professores e estudantes.

“Depois que eu fui lá para pedir a transferência a diretora disse que não gostaria que eu levasse ele porque ele era um ótimo aluno. Mas o que ela não poderia era ter feito meu filho passar vergonha. Depois que ele foi tão humilhado, meu filho foi muito bem aceito na escola nova. Todo mundo me apoiou. Pra quem é mãe é muito difícil ver um filho sofrendo esse preconceito”, disse emocionada Rita de Cássia.

terça-feira, 2 de setembro de 2014

A CASA ILÉ ASE DAJÒ ÍYÀ OMÍ SÀBÁ NA CIDADE DE AREIA BRANCA RN


No ultimo dia 30/08/14  ove o OLUBAJÉ - Ritual da Partilha - O Banquete do Rei Obaluaiyê no Ilê Axé Dajô Iyá Omi Sabá que tem a frente o Babalorixá Noamã Pinheiro, que fica localizada na Rua Duque de Caixias 362, Centro de Areia Branca R\N
Que teve a presença do Babalorixa Melquisedec de Xangó da Casa ILE ÀSÉ DAJO OBA OGODO que fica na cidade de Extremoz R\N, a Mãe de Santo Kathia de Oxalá da Casa de Umbanda Pai José de Aruanda. 
  






Babalorixa Melquisedec de Xangó da Casa ILE ÀSÉ DAJO OBA OGODO e Ogam Mariano de Xango da Casa de Umbanda Pai José de Arunda 

Mãe Kathia de Oxalá Mariano de Xangó e Francisco de Oxalá












Babalorixá Noamã Pinheiro  











 Felipe de Oxossi


























Ialorixá Maria de Pinheiro Mulher de muita ciência 










Agradecimento a todos que participarão dessa partilha 
MUITO AXÉ PRA TODOS

Agradecimento ao blogueiro e jornalista Carlos Júnior do Blog: https:// vozdeareiabranca.com.br